Ministério Público leva projeto Direitos Humanos em Pauta ao município de Maribondo

Imprimir
PDF
Partilhar no FacebookPartilhar no Twitter
Tamanho da Fonte:

O projeto “Direitos Humanos em Pauta – Cidadania nas Escolas”, do Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE/AL), visitou, nesta segunda-feira (19), o município de Maribondo com uma campanha de prevenção ao uso de álcool, drogas e violência. A iniciativa contou com oficinas, palestras, apresentações culturais e rodas de conversa e foi coordenada pelos promotores de Justiça Marllisson Andrade e Marluce Falcão. As atividades aconteceram na Escola Municipal Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

O objetivo do projeto é fomentar a cultura do exercício da cidadania e aproximar a atuação do órgão ministerial da sociedade na defesa dos direitos humanos. Além disso, as atividades priorizam discutir com as comunidades visitadas temas como educação, saúde, exploração sexual e o uso de tabaco, álcool e outras drogas.

“Temos a intenção de discutir, principalmente com os mais jovens, o que são direitos humanos e como exercê-los. É preciso ouvi-los, saber de suas necessidades e detectar onde seus direitos estão sendo desrespeitados. Precisamos de uma sociedade transformada e fortalecida. Estes alunos podem ser agentes efetivos dessa mudança. Por isso, é importante o Ministério Público promover essa discussão com os jovens e toda comunidade que os cerca”, afirmou a promotora de Justiça Marluce Falcão, coordenadora do Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos, do 1º Centro de Apoio Operacional do MPE/AL e idealizadora do projeto.

O promotor de Justiça Marllisson Andrade, titular da Promotoria de Maribondo, acredita que o projeto consegue aproximar o órgão ministerial do cidadão e detectar quais problemas são mais recorrentes na rotina de cada comunidade, e assim, juntos, buscar soluções.

“O projeto Direitos Humanos em Pauta é múltiplo e se encaixa nas diversas questões enfrentadas pela sociedade. Nesta edição demos enfoque ao uso de drogas. Este é um problema grave que enfrentamos e serve como porta de entrada para outras questões que atingem o direito do cidadão. Ou seja, o projeto vai se adaptando às demandas mais urgentes da sociedade. Esse é o papel do MP, se aproximar do cidadão, detectar suas necessidades e defendê-lo”, declarou.

A Secretária de Educação de Maribondo, Elba Siqueira, ressaltou a importância da aproximação dos promotores de Justiça com a sociedade, a fim de promover a construção de uma sociedade cidadã. “Precisamos desse apoio, todo município precisa. Mas a educação, enquanto base formadora, necessita de atenção especial. Afinal, aqui estão as crianças e os jovens que são o futuro de nossa comunidade. Eles precisam saber quais seus direitos e deveres e lutar pela construção de uma cidade saudável”, expôs.


João Cidadão, palestras e conversas

Durante abertura do evento, os promotores de Justiça Marllisson Andrade e Marluce Falcão, apresentaram aos alunos e professores o projeto João Cidadão. Idealizado pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), o projeto tem por objetivo construir um canal de comunicação eficiente, com linguagem dinâmica, bem-humorada e acessível para abordar os direitos e deveres do cidadão.

A iniciativa conta com hotsite e cartilha destinados à apresentação do projeto e à difusão de conteúdo de utilidade pública. “Deixaremos esse presente para vocês. O João Cidadão é uma ferramenta que promove reflexões e ações que estimulam o reconhecimento e exercício dos direitos e deveres de cada pessoa em situações concretas”, afirmou.

A ação contou as presenças dos promotores Lucas Sachisida e Alexandra Beurlen, que comandaram as rodas de conversas sobre exploração sexual contra criança e uso de álcool, tabaco e outras drogas respectivamente. Já a promotora de Justiça Hilza Paiva conversou sobre violência contra mulher. Participaram das atividades professores, pais de alunos e conselheiros tutelares.

Durante o evento também houve palestra da psicóloga Tamires Kristine, que falou sobre o perigo do abuso do álcool, tabaco e outras drogas, e de Valdomiro Pontes, que explicou os perigos do bullying e do jogo virtual Baleia Azul. Os dois palestrantes são da Secretaria de Estado de Prevenção à Violência (SEPREV). O representante do batalhão Escolar da Polícia Militar de Alagoas, Aspirante Alex Acioli, realizou uma apresentação sobre os malefícios do uso de drogas.

Conselho Nacional do Ministério Público Conselho Nacional dos Procuradores Gerais Associação Nacional dos Membros do Ministério Público Colégio de Diretores de Escolas dos Ministérios Públicos do Brasil Conselho Nacional dos Ouvidores do Ministério Público Associação do Ministério Público de Alagoas Tribunal de Justiça de Alagoas