Estudante da Escola Campos Teixeira visitam Memorial Desembargador Hélio Cabral

Imprimir
PDF
Partilhar no FacebookPartilhar no Twitter
Tamanho da Fonte:

Em mais uma ação do projeto “A Escola Vai ao Memorial e ao Ministério Público”, estudantes da Escola Estadual Campos Teixeira visitaram, nesta quarta-feira (11), o Memorial Desembargador Hélio Cabral. Acompanhados da professora Idalene Siqueira, os discentes do Ensino Médio tiveram acesso à exposição permanente sobre a história do Ministério Público em Alagoas.

Eles conheceram peças, joias, fotografias, documentos e publicações doados por promotores e procuradores de Justiça ou por familiares de antigos membros. Após a apresentação do espaço, a coordenadora do memorial, Gisela Pfau, convidou os jovens a relatarem por meio de texto a experiência da visita.

Em resposta a estudante Ana Beatriz, de 17 anos, disse que o museu representa histórias passadas, que, agora, a população pode conhecer. “Conhecemos pessoas que já tiveram história para contar, objetos interessantes e peças de outros tempos que mostram como se vivia antigamente”, disse. Já a discente Lavínia Stephanny, de 16 anos, falou sobre a instituição: “O Ministério Público representa, para mim, a segurança de que nossos direitos e os do povo sejam exercidos constantemente”.

O projeto

Ao lado do procurador-geral de Justiça, Sérgio Jucá, a promotora de Justiça Kícia Oliveira de Cabral Vasconcelos foi uma das principais responsáveis por retomar a visita das escolas ao Memorial Desembargador Hélio Cabral. A promotora destacou que o contato dos estudantes com a história do Ministério Público Estadual faz parte do projeto “A Escola Vai ao Memorial e ao Ministério Público”, que, em outras épocas, levou centenas de alunos ao museu da instituição.

“O projeto permite que esses jovens saibam qual é o papel do Ministério Público e o quanto cada um deles pode contar com os membros e servidores desta Casa. Veja, estamos falando de uma parcela da população altamente vulnerável, não só por conta da idade, como também pelas condições sociais em que se encontram. Eles precisam e devem saber que a instituição pode sim ajudá-los em eventuais dificuldades por meio do contato direto conosco ou mesmo por denúncia anônima física ou virtual”, considerou Kícia Cabral.

A coordenadora do memorial, Gisela Pfau, afirmou que as visitas das escolas à exposição “A história do Ministério Público em Alagoas” deve continuar ao longo do ano. “Queremos garantir, pelo menos, duas visitas de estudantes por mês. Já contatamos a Secretaria de Estado da Educação para motivar os diretores a trazerem os jovens neste momento em que o nosso foco é a rede estadual de ensino. Na sequência, vamos contatar a rede municipal e, em seguida, as escolas de cidades do interior. É necessário que o poder público garanta a estrutura necessária para os alunos conhecerem o MPE/A”, disse.

Conselho Nacional do Ministério Público Conselho Nacional dos Procuradores Gerais Associação Nacional dos Membros do Ministério Público Colégio de Diretores de Escolas dos Ministérios Públicos do Brasil Conselho Nacional dos Ouvidores do Ministério Público Associação do Ministério Público de Alagoas Tribunal de Justiça de Alagoas