Toninho Lins é afastado da Prefeitura de Rio Largo

Imprimir
PDF
Partilhar no FacebookPartilhar no Twitter
Tamanho da Fonte:

 

O juiz Ayrton de Luna Tenório, titular da Comarca de Rio Largo, afastou o prefeito de Rio Largo, Antonio Lins Souza Filho, o “Toninho Lins”, e o presidente da Câmara Municipal, Luiz Phellipe Malta Buyers , o “Lula Leão”, atendendo pedido em uma ação por improbidade administrativa do Ministério Público Estadual. Eles são acusados de participarem de um grupo criminoso que adquiriu e depois vendeu, em nome e com recursos do município, uma área de 252,4 hectares por R$ 700 mil. No entanto, a avaliação da área ultrapassa os R$ 21,4 milhões, segundo dados da própria Prefeitura de Rio Largo. No local passou a ser construído um loteamento particular. Toninho Lins está preso, desde o dia 22 de maio, enquanto Lula Leão segue foragido da Justiça. O juiz Ayrton Tenório autorizou a posse da vice-prefeita, Fátima Correia.

Na semana passada, o magistrado já tinha suspendido as obras no terreno. Inicialmente a área serviria para construção de um conjunto residencial para população de baixa renda do município. o prefeito desapropriou as terras da Usina Utinga Leão, que sequer questionou os valores abaixo do mercado pelos quais a área estava sendo entregue ao município de Rio Largo. Toninho Lins então solicitou aos vereadores a alienação da área para “empresas que estivessem dispostas a realizar programas e ações habitacionais de interesse social” em Rio Largo. Com isso, a MSL foi escolhida, sem licitação, para adquirir o terreno, pagando o mesmo valor gasto na indenização feita pela Prefeitura.

Após a investigação do MPE, o prefeito, os vereadores e os empresários envolvidos no esquema foram alvos de uma operação conduzida pelo Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc). O prefeito e a maior parte dos vereadores e empresários estão presos. Se condenados pelos atos de improbidade, eles podem perder a função pública, ter a suspensão dos direitos políticos por cinco anos, pagamento de multa, devolução dos recursos desviados e proibição de contratação com o poder público por três anos.

 

Conselho Nacional do Ministério Público Conselho Nacional dos Procuradores Gerais Associação Nacional dos Membros do Ministério Público Colégio de Diretores de Escolas dos Ministérios Públicos do Brasil Conselho Nacional dos Ouvidores do Ministério Público Associação do Ministério Público de Alagoas Tribunal de Justiça de Alagoas