Ministério Público participa de audiência pública pela erradicação do trabalho infantil em São Sebastião

Imprimir
PDF
Partilhar no FacebookPartilhar no Twitter
Tamanho da Fonte:

Por meio da Promotoria de Justiça de São Sebastião, o Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE/AL), participou de audiência pública, naquele município, para tratar da promoção de políticas públicas voltadas à prevenção e erradicação do trabalho infantil. Na ocasião, a promotora de Justiça, Viviane Karla, afirmou ser indispensável a implantação de projetos que culminem na proteção do público infantojuvenil.

“Não adianta apresentarmos um discurso bonito e abstrato de que o trabalho infantil é proibido e tão somente isso. O discurso deve ser acompanhado da execução de políticas públicas que permitam uma assistência mais significativa tanto para crianças quanto para adolescentes”, enfatiza a promotora Viviane Karla.

No Município de São Sebastião, segundo a promotora, além de atividades desempenhadas no contraturno escolar, foi implantado aos sábados, dia de feira livre do município, um projeto que tem como propósito desenvolver atividades esportivas com as crianças e adolescentes.

“O referido projeto tem uma aderência bastante positiva, de modo que os menores que antes trabalhavam na feira, fazendo carregos ou ajudando os pais, agora desenvolvem atividades lúdicas e esportivas. E isso é permitir que tenham um futuro digno, pautado na cidadania, no cumprimento das leis. E o Ministério Público estará sempre buscando a garantia dos seus direitos”, ressalta a promotora.

Durante a audiência pública, foi reafirmado que a criança precisa estudar, brincar e aprender. Também de que é preciso eliminar a cultura de que o trabalho infantil é normal e isso, afirma a representante ministerial, “só é possível por meio de ações e intensos debates”.

“O trabalho infantil é uma exploração que atropela todo o desenvolvimento da criança, suas fases, atribuindo-lhe responsabilidades e isso afeta em todos os aspectos. Na escola, por exemplo, além do baixo rendimento e evasão escolar, apresenta ainda consequências prejudiciais à saúde, e muitas desenvolvem problemas fisiológicos e até psicológicos”, conclui a promotora Viviane Karla.

Conselho Nacional do Ministério Público Conselho Nacional dos Procuradores Gerais Associação Nacional dos Membros do Ministério Público Colégio de Diretores de Escolas dos Ministérios Públicos do Brasil Conselho Nacional dos Ouvidores do Ministério Público Associação do Ministério Público de Alagoas Tribunal de Justiça de Alagoas