Ministério Público recomenda que Prefeitura de Girau do Ponciano reduza valor de contrato com posto de combustíveis

Imprimir
PDF
Partilhar no FacebookPartilhar no Twitter
Tamanho da Fonte:

A Promotoria de Justiça de Girau do Ponciano expediu recomendação ao chefe do Poder Executivo daquele município, Davi Ramos de Barros, pedindo a redução no valor do contrato firmado com o Posto de Gasolina Autopel (Auto Posto Progresso Ltda), estimado em R$ 3.595.210,30. A empresa foi contratada pela Prefeitura para prestar serviços no período entre julho e dezembro deste ano e o montante destinado a ela ultrapassou, significativamente, aquele pago nos três anos anteriores.

De acordo com o promotor de Justiça Kleber Valadares, o valor contratado para 2017 majorou o consumo mensal em mais de R$ 200 mil, se comparado com o ano passado e isso ocorreu sem justificativas convincentes.

Com base no artigo 65, da Lei nº 8.666/93 - a Lei de Licitações - a Promotoria de Girau do Ponciano recomendou que a Prefeitura suprima “por acordo ou unilateralmente, o valor inicial atualizado do contrato para que se atinja patamares razoáveis de fornecimento de combustíveis, considerando a demanda de anos anteriores, sob pena de ajuizamento de improbidade administrativa”.

Ao posto de combustíveis, Kleber Valadares orientou que a empresa “emita, sempre, a nota ou cupom fiscal referente a cada abastecimento”.

Ainda na recomendação, o promotor de Justiça mencionando os princípios básicos da legalidade, moralidade, igualdade e probidade administrativa fez um comparativo de valores referentes ao fornecimento de combustíveis à Prefeitura nos seis meses de 2017 com os anos de 2014, 2015 e 2016.

“Não é concebível um aumento demasiado como o que constatamos. Temos de cobrar explicações do gestor e adotarmos providências. A Promotoria confirmou que, mensalmente, há um acréscimo de mais de duzentos mil reais no abastecimento e não dá para ficar inerte diante dessa disparidade”, afirmou Kleber Valadares.

A Promotoria descobriu também que, em 2014, no período de janeiro a julho, o valor total correspondente ao abastecimento em veículos oficiais foi de R$ 1.918.720,30, uma média mensal de R$ 374.102,90. Em 2015, em todo ano, a Prefeitura gastou R$ 3.230.322,0, com média por mês de R$ 369.193,50.0. Já em 2016, também em doze meses, o valor apresentado com o abastecimento foi de R$ 4.214.654,00, média de R$ 351.222,00.

“Houve um aumento abusivo em relação a estimativa de consumo e, consequentemente, nos valores a serem pagos ao Posto de Gasolina Autopel”, disse o promotor, acrescentando que, para 2017, a média mensal foi de R$ 553.109,27, estimando o valor de R$ 3.595.210,30 somente nos seis meses deste ano.

Prestação de contas

Primando pela legalidade, a Promotoria de Justiça de Girau do Ponciano ainda recomendou que, a partir de agora, a Prefeitura preste contas dos abastecimentos, mensalmente, até o quinto dia útil de cada mês, enviando cópias de documentos identificando as secretarias beneficiadas, assim como as notas de empenho referentes ao período de julho a dezembro de 2017.

Ele também quer que seja registrado, em cada abastecimento, tanto nas notas, como nos recibos confeccionados, a placa do veículo oficial abastecido, a qual órgão pertence, nome, CPF do condutor responsável, dia e hora do abastecimento, quantidade de combustível fornecido e a assinatura do condutor do carro.

“As informações requisitadas são imprescindíveis para garantirmos lisura no processo de abastecimento dos veículos oficiais. Queremos, inclusive, que sejam enviadas cópias à Promotoria para acompanharmos de perto e reforçarmos a fiscalização. Temos que dar um basta nos atos ilícitos praticados com o dinheiro público”, destacou Kleber Valadares.

Conselho Nacional do Ministério Público Conselho Nacional dos Procuradores Gerais Associação Nacional dos Membros do Ministério Público Colégio de Diretores de Escolas dos Ministérios Públicos do Brasil Conselho Nacional dos Ouvidores do Ministério Público Associação do Ministério Público de Alagoas Tribunal de Justiça de Alagoas